Todo apoio ao vereador Renato Freitas (PT), que recebeu ameaças de morte

O mandato da vereadora Professora Josete (PT) vem a público prestar sua solidariedade ao vereador Renato Freitas, companheiro da bancada do Partido dos Trabalhadores (PT) na Câmara de Curitiba que, neste sábado (16), denunciou que vem sofrendo ameaças de morte.

Em nota, Renato conta que homens armados rondaram a região onde mora, na segunda-feira (11), perguntando aos vizinhos onde seria a casa do vereador.

“Homens à paisana estiveram na rua da minha casa na tentativa de identificar a minha residência, fato esse relatado pelos meus vizinhos, que foram indagados se conheciam e sabiam onde morava o vereador Renato Freitas”, conta o vereador.

Os vizinhos, que preferiram não se identificar, relataram que um dos homens estava armado e tirou fotos da casa do vereador. Em seguida, os homens entraram num carro tipo furgão e saíram sem se identificar.

“Após serem questionados se gostariam de alguma informação específica, os homens entraram no carro, deram a ré para não serem vistos e foram embora”, relata Renato.

O vereador e sua equipe jurídica farão o registro do Boletim de Ocorrência, apresentarão uma notícia crime e pedido de investigação junto à Polícia Civil, a partir deste sábado (16).

Histórico de perseguições

Essa não é a primeira vez que o vereador tem sua vida colocada em risco. Renato Freitas, que também é advogado, tornou-se notícia nacional por dois casos de agressão da Guarda Municipal de Curitiba. A primeira em 2016, quando foi candidato a vereador pelo PSOL, em que foi preso, espancado e colocado nú numa cela da carceragem do 3° Distrito Policial de Curitiba.

Na segunda, em 2018, era candidato a deputado estadual pelo PT e foi alvejado duas vezes à queima-roupa por agentes da Gerência de Operações Especiais (GOE) da Guarda Municipal com balas de borracha. A equipe jurídica do vereador também tem um histórico de abordagens policiais desde 2015, que será anexado ao processo.

De ataques racistas a ameaças de morte em redes sociais, para o Vereador Renato Freitas, trata-se de evidente caso de violência política e eleitoral: “A violência política que acontece comigo não é só sobre mim, é sobre 5097 pessoas que exerceram seu direito de voto e acreditaram nas nossas ideias”.

Renato é militante do movimento negro e do coletivo Núcleo Periférico, que defende pautas como direito à moradia, reforma urbana e agrária, desmilitarização das polícias, democratização do acesso à cultura e garantia dos Direitos Humanos.

Com informações da Assessoria do Mandato do Vereador Renato Freitas

Comment (1)

  • Temos que identificar os responsáveis e puni-los com o rigor da lei para que casos como esses não voltem a ocorrer e que os escolhidos pelo povo possam exercer a sua função pública sem ameaças ou medo

    José Carlos Cunha
    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Start typing and press Enter to search

Shopping Cart