CMEI de Curitiba receberá o nome de Professora Daiana Stefhanne, vítima da Covid-19

A Câmara Municipal de Curitiba aprovou nesta quarta-feira (15), projeto de lei que denomina de Professora Daiana Stefhanne Costa da Silva, um dos Centros Municipais de Educação Infantil (CMEI) de Curitiba. De autoria da vereadora Professora Josete (PT), a proposta presta homenagem à educadora que faleceu em dezembro do ano passado, vítima da Covid-19.

O projeto foi aprovado por unanimidade dos parlamentares presentes e a votação foi acompanhada por familiares de Daiana; seu ex-esposo Helton da Silva, sua cunhada Tatiane, seus sogros Waldir e Maria e pela pequena Catarina Vitória, sua filha que completou 1 ano no último dia 3 de dezembro. A homenagem foi marcada pela emoção e pronunciamentos dos parlamentares sobre o momento triste passado por familiares de pessoas que faleceram em decorrência da doença.

Nascida em Pinhais, região metropolitana de Curitiba, Daiana era professora do CMEI Jardim Alegre, no bairro Santa Cândida. Antes de lecionar, Daiana foi vendedora e bailarina, mas sua vocação a levou às salas de aula.

Diante da gravidez de Helena, sua primeira filha, não pôde concluir o curso de magistério. Não desistiu do sonho de ser educadora, de formar pessoas e transformar seres humanos. Tempos depois, buscou graduação em Pedagogia.
Iniciou sua carreira na docência no município de Pinhais, ainda como estagiária. Ávida por novos conhecimentos, assim que concluiu o curso superior, buscou aperfeiçoamento e especializou-se em Psicopedagogia e Educação Especial.

Lecionou em escolas particulares e ingressou na rede municipal de educação de Curitiba em 2014, onde trabalhou em diferentes CMEIs de Curitiba até chegar à unidade do Santa Cândida.

Casada com Helton da Silva desde 2017, tinha o sonho de uma segunda filha ou filho. Diagnosticada com infertilidade sem motivo aparente, Daiana não conseguia engravidar. Aos 33 anos e atuando em trabalho home office desde março de 2020, em junho descobriu sua esperada segunda gestação.

Em novembro do mesmo ano contraiu a Covid-19. Teve complicações, foi entubada e precisou realizar uma cirurgia de emergência, onde ela e a filha corriam risco de morte. Após o parto, lutou mais 23 dias por sua vida, mas não resistiu, falecendo no 26 de dezembro de 2020, sem saber do nascimento de sua segunda filha, Catarina Vitória.

“Professora Daiana era conhecida por sua dedicação, seu empenho, seu compromisso em fazer a diferença na vida daquelas crianças e daquelas famílias. Brigou sempre que foi preciso se posicionar para modificar realidades com as quais não concordava. Tinha orgulho de dizer para todos que era professora. Tinha orgulho de dizer para sua filha que era professora”, destacou a autora da homenagem.

Em uma de suas últimas atividades como professora, deixou no armário de casa 30 fantoches confeccionados artesanalmente para enviar a sua última turminha do CMEI Jardim Alegre. “Esse projeto, esse nome à um CMEI, é uma singela homenagem à Daiana, à pequena Catarina Vitória, a todos servidores e servidoras e profissionais da educação que nos deixaram nesta pandemia”, concluiu Professora Josete.

There are no comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Start typing and press Enter to search

Shopping Cart