Audiência pública debate incêndio na CIC e direito à moradia em Curitiba

Será realizada nesta quarta-feira (19), na Câmara Municipal de Curitiba, a Audiência Pública “Direito à moradia, direitos humanos e a realidade no município de Curitiba”. Organizada pelo mandato da vereadora Professora Josete (PT) com apoio do mandato de Goura (PDT), o evento foi motivado pelo incêndio criminoso no dia 7 de dezembro, que deixou centenas de famílias desabrigadas na Ocupação 29 de Março.

Localizado na Cidade Industrial de Curitiba (CIC), o terreno incendiado compõe uma área de quatro Ocupações – Nova Primavera, 29 de Março, Tiradentes e Dona Cida – onde com grande dificuldade e força de resistência vivem cerca de 1500 famílias. “Acompanhamos a situação destas famílias desde o início da ocupação. Estive lá com meu mandato, ouvimos a população, ouvimos relatos de abusos de autoridade, de excessos”, comenta Professora Josete.

A vereadora recorda que há cerca de dois meses, a comunidade da ocupação 29 de Março se mobilizaram e protestou em frente à prefeitura por seu direito a regularização e moradia digna, porém não foi recebida pelo prefeito Rafael Greca (PMN) ou por secretários do governo. Na oportunidade, o presidente da Cohab declarou que não tinha o que fazer em relação à situação das famílias, muitas delas na fila da companhia. “A moradia é um direito humano. As pessoas que estão ali não estão porque querem. Estão porque precisam. Ou elas pagam aluguel ou elas comem”, acrescenta Josete.

Solidariedade

No último domingo (16) um ato em solidariedade às vítimas do incêndio foi organizado pelas quatro comunidades das ocupações da CIC – 29 de Março, Dona Cida, Tiradentes e Nova Primavera. Foram feitas doações e realizadas apresentações musicais, culturais e atos políticos de apoiadores das comunidades. “O evento foi legal, mobilizou apoiadores/as e a comunidade. Teve RAP, música tradicional brasileira, teatro, poesia. E, mais à noite, teve a bateria da Leões da Mocidade, que o povo adorou, sambou de verdade”, relatou Paulo Bearzoti, do Movimento Popular por Moradia, que confirmou presença na audiência na CMC.

No mesmo evento foi realizado um ato símbolo de marco da reconstrução da ocupação 29 de Março, com a construção da primeira casa após o incêndio. Ela foi feita pela TETO Brasil, que está mobilizada na reconstrução das moradias por meio de um programa de moradias de emergência. A intenção da ONG é construir 150 moradias e necessita de doações. Para isso foi lançada uma plataforma de doações na internet no endereço: http://juntos.com.vc/pt/29resiste.

A Companhia de Habitação Popular de Curitiba (Cohab) anunciou nesta segunda-feira (17) que pagará auxílio-moradia para 98 famílias que tiveram suas casas queimadas no incêndio.

Convidados

Representantes de movimentos de moradia, das comunidades da CIC, do Ministério Público, da Companhia de Habitação de Curitiba (COHAB), da Fundação de Ação Social (FAS) e da Segurança Pública do Estado foram convidados à participar. A audiência é aberta à comunidade em geral e terá início às 14h, no Auditório do Anexo II da CMC, 4º andar. Confirme sua presença no evento:  https://www.facebook.com/events/303368240285955/

There are no comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Start typing and press Enter to search

Shopping Cart